teste

O maior e mais completo guia infantil com as melhores marcas, lojas e serviços do Brasil

Mil Assuntos


Dicas valiosas para você dar conta de tudo, ser mae, mulher e profissional

10/07/2015 - Por Raquel Benazzi - Núcleo Corujas

Como fazer para organizar meu tempo e a rotina e dar conta de tudo, ser mãe, mulher e profissional?

http://goo.gl/x5nfXY

Na verdade não sabemos se conseguimos dar conta de tudo, e não sabemos se precisamos dar conta de tudo. É sempre bom percebermos que podemos ser pessoas normais que muitas vezes não conseguem ter uma rotina exemplar e que conseguimos fazer tudo o que queríamos. O importante é ter o equilíbrio e saber dosar cada função e cada papel. Por isso, aqui vão algumas dicas de como se organizar para tentar uma rotina mais tranquila e organizada.

Tentar exercer cada função de uma vez

Se estou no trabalho, tento me focar nele, e se estou em casa foco em ser mãe e dona de casa.

Respeitar seu espaço de trabalho

Se trabalho em casa devo ter meu local de trabalho e um horário a cumprir, para minha mente e minha família entenderem esse momento.

Faça um calendário

Faça um calendário semanal e coloco em um local visível, como a geladeira, e coloque as tarefas que deseja realizar na sua semana, assim risque-as quando realizá-las. Se não realizar uma tarefa, não se culpe, deixe a para outro dia, e se não conseguir novamente, tente encaixá-la em outro momento.

Reserve um tempo da semana para você.

Sempre precisamos nos cuidar antes de cuidar dos outros. Usando uma metáfora, devemos colocar a máscara de oxigênio em nós primeiro para podermos colocar nos outros. Assim se você estiver bem consiga mesmo, tudo fluirá naturalmente.

O tempo para você pode ser em casa mesmo, após o filho dormir, ou um banho relaxante e demorado. Deve ser algo que te traga prazer.

Cuide do seu relacionamento

Tenha um tempo para a relação conjugal. Muitas mulheres se esquecem de ser esposa, então, além de reservar um tempo para você, reserve um tempo para o marido. Saia para jantar, veja um filme, ou simplesmente fiquem juntos.

Sempre deixe suas tarefas organizadas por preferência e prioridade, assim o mais importante sempre será feito.

Acrescente tudo no seu calendário semanal e viva cada minuto, tenha calma, não se apresse, e não tente ser a mulher maravilha, assim a rotina se adapta a você e você se adapta a rotina.



5 coisas que aquela sua amiga sem filhos não entende

05/07/2015 - Por Melina Pockrandt - Maternidade Simples

A maternidade traz, em sua bagagem de mudanças, um filtro de amizades. Depois de temos filhos, os nossos relacionamentos sociais são chacoalhados e permanecem aqueles que valem a pena. Um dos grandes problemas é que muitos amigos sem filhos não entendem as adaptações que precisamos fazer em nossas vidas e acham que muitas das nossas privações são frescuras.

http://goo.gl/WiBd56

Dá uma olhada na lista abaixo e conte se você já enfrentou alguma destas situações:

Uma noite não é só uma noite.

Você tem um bebê de 5 meses em casa e sua amiga te chama para sair e voltar só de madrugada. Você argumenta que está muito cansada e não vai aguentar ficar horas fora à noite. E ela te responde: “Mas é só uma noite, amanhã você dorme”. Mal sabe ela que dormir não é uma programação que a gente consegue fazer e cumprir quando quer. Quem dita as regras da madrugada não somos nós, é o bebê!

Rotina não é frescura.

Então, sua amiga liga e diz: “estou passando na sua casa para dar um beijo em vocês”. E isso bem na hora do banho do bebê ou na hora de colocar o filho mais velho na cama. Mas se você disser isso, já sabe o que ela vai dizer (ou pensar): “que frescura!” Querida amiga sem filhos, rotina não é frescura. Ela é fundamental para manter a saúde das crianças e a minha sanidade. Por favor, entenda!

Programas sem filhos são muito difíceis.

“Por que você não deixa as crianças com o pai? Ou com a avó? Contrata uma babá!” Para a amiga sem filhos, é muito fácil arranjar alguém para cuidar do bebê e ela não consegue entender como você não consegue sair sozinha. “Nem mesmo à manicure?”

Não existe diversão como a diversão com as crianças.

É claro que amamos passear e fazer “programas de adulto”, mas a sua amiga sem filhos não consegue entender o nível de satisfação e alegria que sentimos quando estamos em um momento em família, em que todos estão se divertindo junto. É um outro patamar de felicidade.

Quando ela tiver filhos, ela vai saber.

É claro que sua amiga sem filhos não fica contrariada apenas com as mudanças na sua vida social, ela também fica chocada com a ideia de você deixar seus filhos vendo TV ou mexendo no tablet na hora das refeições – ou por não deixá-los ver televisão em nenhum momento. Ou ainda questionam o fato de você não dar açúcar para o bebê – ou por já tê-lo deixado comer doce antes dos dois anos. Enfim, quem ainda não é mãe sempre vai ter algo que não concorde sobre a criação dos nossos filhos. Mas não se preocupe: quando ela tiver filhos, vai saber.

E a exceção?

É claro que temos amigas que não têm filhos que são as melhores, não é mesmo? Não apenas entendem – ou se esforçam para entender – todas as mudanças que a maternidade impõe, mas continuam presentes em nossas vidas apesar delas. Pessoas que adaptam as programações para que possamos participar, contam com a presença dos nossos filhos, interagem com eles, entendem quando vamos embora mais cedo e também quando dizemos não. Aceitam a forma de criação que escolhemos e ainda ouvem as nossas lamúrias e angústias sem julgamentos. Eu tenho o privilégio de ter várias nestas categorias. A essas, um “muito obrigada”!

Às outras, um desejo: sejam mães e sintam na pele essas mudanças. Mas fiquem tranquilas, estaremos aqui para oferecer compreensão sem julgamentos.

 



Vamos quebrar o tabu e falar de sexo?

30/06/2015 - Por Karen Abtibol - Elemetransforma

Posso abrir o verbo ou devo me conter?! Acho que com vocês posso e devo me soltar e falar abertamente sobre qualquer assunto. Então deixemos o tabu de lado e vamos falar daquilo que move o mundo: SEXO!


https://goo.gl/tU6KhZ

Ah, então você não concorda que o sexo move o mundo?! Sei... Vamos analisar. As mulheres quiseram ter independência financeira para serem donas dos próprios narizes e terem dinheiro para gastar com o que quisessem. Gastam todas suas economias em roupas, sapatos, bijuterias e produtos de beleza. Passam horas no salão, escovando as madeixas, pintando as unhas e caprichando na maquiagem. Colocam aquele vestido justo, o salto alto e o perfume marcante quando vão sair. Saem pra dançar, seduzem o gato e acabam aonde?! Na cama. Ficam, namoram, noivam e casam. E mais sexo, sexo, sexo.

Com os homens a única diferença é a relação inversamente proporcional entre frequência e seletividade. Rs... (abafa o caso!)

Enfim, minha gente, minha teoria está certa e o negócio é sério. Principalmente quando falamos em sexo durante a gravidez e no pós-parto.

Os atritos começam quando a grávida, vivendo um turbilhão de emoções e convivendo com uma explosão contínua de hormônios, está subindo pelas paredes e o marido vem com aquela frase: “Tenho medo de machucar o bebê!”.

Oi?! Em que mundo estamos, meninas?!

Em pleno século XXI, era da acessibilidade digital, Dr. Google disponível 24h por dia e ainda ouvimos essa desculpa esfarrapada? O pior é que alguns homens, por mais que você explique e desenhe, e prove por A+B que não existe esse risco se a gravidez está correndo bem, continuam achando que essa possibilidade é real.

Acontece que 9 meses de privação é quase uma pena de morte para a classe masculina e eles acabam cedendo. Até porque não precisamos gastar muita saliva pra levar um homem pra cama, não é mesmo?!

 Homens são sempre cheio de cuidados quando se fala em mulher grávida e existem aquelas que também não sentem aquela vontade, mas é fundamental e necessário manter a disposição  para que esse laço se fortaleça, principalmente, porque quando o bebê chegar vocês realmente precisarão apoiar um ao outro, serem companheiros e amigos para suportar todas as mudanças que um bebê traz e um longo período de resguardo e cansaço da mulher.

Sexo durante a gravidez

O sexo durante a gravidez fortalece o vínculo marido e mulher, aumenta a cumplicidade e alimenta o amor. Faz bem para a futura mamãe, levantando a autoestima e deixando-a segura. Faz bem para o marido que se satisfaz e experimenta coisas novas. Faz bem para o casamento que sai da rotina e... faz bem para o bebê, que compartilha o bem-estar com a mamãe e sente a felicidade e o amor que o envolvem nesse momento.

Enquanto a barriga não cresce quase nada muda, mas quando vocês começarem a sentir o volume abdominal aumentando entre o casal (espero que seja pelo bebê crescendo... rs) é hora de inovar. Não sinta vergonha do barrigão, pense que será um sexo diferente e isso pode deixar de ser um empecilho e virar um fetiche! Compre um lingerie bonita, fio dental e cinta liga, faça uma make de arrasar e passe seu perfume preferido em locais estratégicos. Surpreenda o maridão, e quando ele menos esperar dê o bote! Aproveite para experimentar novas posições e descobrir novos pontos de prazer, que durante a gravidez ficam muito mais sensíveis! Tenho certeza de que será uma experiência exótica e divertida.

Sexo depois que o bebê nasce

Depois que o neném nasce, as coisas se invertem. Se antes era o marido cheio de dedos para o sexo, nessa fase a mulher, numa enxurrada de ocitocina que é liberada a todo instante na sua corrente sanguínea, só tem olhos para o neném e esquece completamente do marido. Sim, meninas, a vontade de namorar vai a zero... diria até que pode chegar a -1! E os maridos, que não viam a hora de ter suas esposas “de volta”, estão com o pique a mil, com desejo acumulado e loucos pra voltar a rotina de antes.

O mundo dá voltas! Rs... É triste, mas temos que admitir.

E da mesma forma que queríamos que os maridos entendessem e cedessem aos nossos desejos enquanto grávidas, precisamos ser companheiras e ceder às investidas deles mesmo sem muita vontade. Quando o maridão vier todo empolgado, olhe aquele homem nos olhos, enxergue o porquê de você ter casado com ele, lembre-se de quanto o ama e de quanto é BOM SER DESEJADAAAA! Isso levanta até defunto! E mesmo que o marido esteja na dele, ele tem sido tão atencioso e companheiro, tem se esforçado pra ser um bom pai e pra estar presente ao seu lado nesses momentos difíceis, por que não recompensá-lo e fazer uma surpresinha?!

Entre no clima, aproveite que o neném deu uma trégua e dormiu, tape os ouvidos pros gemidinhos que vem do berço, deixe de prestar atenção em cada movimento dele, arrume uma babá se for o caso, e se deixe envolver pelo calor do momento. Juro que é só dar um empurrãozinho que a vontade de namorar explode dentro de você!

Agora, se o neném estiver no mesmo quarto que vocês, dormindo no bercinho... Não se empolgue demais, você não vai querer acordá-lo e ser surpreendida bem na hora do “bem e bom”! Mas se isso acontecer, respire fundo, coloque o neném pra dormir outra vez e recomece o ritual com mais intensidade que antes.

O casamento, após a chegada dos filhos, exige um pouco de jogo de cintura e paciência, mas com amor e boa vontade tudo entra nos eixos e vocês ficarão ainda mais unidos, realizados e felizes.

Um abraço, e deixa eu ir que minha maquiagem ainda está na metade e depois vocês sabem o que virá. ;)

 

 



Afinal de contas, o que você precisa saber antes do bebê chegar?

19/06/2015 - Por Karen Abtibol - Elemetransforma

Se eu tivesse que saber apenas 5 coisas quais seriam elas?


https://goo.gl/cp0r8Z

A primeira coisa que você precisa saber e colocar em prática, na minha opinião, é:

Você pode confiar no seu instinto!

É só o bebê nascer que começam a chover conselhos e pitacos! Nenhuma mãe que eu conheço passou por isso ilesa. É preciso ser forte e confiar nas suas decisões para não surtar ou se deixar influenciar. Além das suas próprias inseguranças, ainda ter que lidar com intervenções alheias é um estresse desnecessário. Ter essa segurança não é fácil, mas acredite, você e seu filho estiveram conectados por 9 meses e isso não foi à toa, uma mãe sempre sabe qual a real necessidade do seu filho, sempre sabe quando há algo errado (ou não) mesmo que todo mundo diga algo diferente. O “ser mãe” é puramente instintivo.

DICA: Filtre as informações, ignore o que você discorda, esqueça aquilo que vai contra suas convicções e capte apenas o que achar válido. Muitas vezes ficamos chateadas com a intromissão alheia e com os julgamentos, mas não podemos negar que muita coisa útil a gente aprende com a experiência do outro.

O seu corpo é mais do que a boa forma de antes

Algumas mamães voltam ao peso em pouquíssimo tempo e logo já estão de volta aos jeans 36. Mas nem todo mundo é assim e não se sinta mal por isso. Uma alimentação saudável e exercícios físicos fazem bem para qualquer pessoa. Mas não fique paranoica com isso! Gradativamente você voltará ao corpo de antes e caso não volte, aprenda a ver a beleza de suas novas curvas! Você gerou e abrigou um neném em seu ventre e agora que ele nasceu se tornou uma mulher forte e continua linda, se não ainda mais, acredite nisso! Depois você terá tempo de sobra pra entrar na academia e aderir a dietas restritivas!

DICA: Deixe o bebê com alguém (por mais difícil que isso seja nos primeiros dias), tome um bom banho, passe um corretivo, um batom bonito e muitas camadas de rímel, arrume o cabelo, passe um perfume suave. Sim, para ficar em casa! Mas para se sentir bem quando olhar no espelho. Se arrume pra você! Você vai ver como isso faz bem, o cansaço diminui, a autoestima fica lá em cima e de quebra, ainda surpreende o maridão.

O bebê não tem manual de instruções

Choro nem sempre significa dor. Pode ser fralda molhada, fome, insegurança, sono... Quando o choro começar, verifique todas as possíveis causas. Com o tempo e a convivência você identificará de que o neném precisa com mais facilidade. Aos poucos é que se aprende como bebês funcionam. Outra coisa muito importante: Por mais frágil e indefeso que ele pareça, seu neném não é de porcelana! Pode segurá-lo, dar banho, amamentar sem medo, com o tempo você pega o jeito! Sim, os movimentos precisam ser delicados e as mãos precisam ser firmes, mas não deixe de tentar por receio de errar.

DICA: a maternidade exige observação e paciência, atentar para as atitudes que facilitam e dão certo e principalmente para as que dão errado na hora de resolver os problemas. Tudo isso leva você ao autoconhecimento e te guiam qual será a melhor maneira de cuidar de um bebê. É preciso tentar, é preciso errar, para aprender. Sem julgamentos, apenas com boa vontade e amor. No final tudo se resolve e você terá orgulho da mãe que se tornou.

Ter um neném em casa exige disponibilidade de tempo

A criança precisa de cuidados e atenção intensivos e ininterruptos. Adequar-se à nova rotina não é tarefa fácil. Estar disponível requer entrega e mudança de prioridades. É preciso abrir mão de certas manias e exigências e direcionar sua energia e horas vagas pra você e o bebê.

DICA: Faça aquela arrumação no armário, ou aquele projeto de artesanato, ou aquela reforma na decoração da sala ANTES da chegada do neném. Deixe para depois apenas as tarefas do dia-a-dia, ainda assim você terá pouco tempo. Se for possível peça ajuda, contrate alguém para cuidar dos afazeres da casa ou chame uma amiga ou alguém da família para auxiliar. Assim você terá menos coisas para se preocupar e mais disponibilidade para curtir a maternidade.

O casal e a chegada do novo membro

Vocês verão que diferença faz ter mais um membro na família. Ainda mais um serzinho que precisa de cuidados intensivos 24h por dia. Os primeiros dias do neném em casa são exaustivos, não há como não ser. Ele estará se adaptando a vida fora do útero e vocês estarão se adaptando a sua chegada. Além do quê, a privação do sono e o cansaço acumulado, acabam por deixar a mulher ainda mais sensível (sim, isso é possível!). E pode deixar o papai impaciente e estressado. Fora que o casal inevitavelmente ficará afastado, momentos a sós serão raros e a rotina muda completamente.

DICA: Que tal marcar um programinha a dois?! Depois que o neném chegar, as prioridades serão outras e por um bom tempo será inevitável que o maridão seja jogado pra escanteio. Momentos juntos, recheados de amor e cumplicidade, fortalecerão ainda mais os laços que os une e o companheirismo. Aproveitem para conversar, sair com os amigos, fazer coisas que os deixam felizes e namorar bastante. Usem esses momentos para nutrir a intimidade e interação entre vocês, para que quando o neném chegar se sintam à vontade para abrir o jogo e expor as angústias que vierem a aparecer.

A maternidade não é uma tarefa fácil, mas também não é impossível. É por isso que Deus planta nos corações das mães o maior sentimento do mundo, para que sejam pacientes e benevolentes nessa nova jornada. E aí? Preparada?

 

 



10 coisas que você gostaria que seu marido soubesse depois que o bebê chegou

04/05/2015 - Por Melina Pockrandt

Os primeiros dias, semanas e, às vezes, meses após o nascimento do bebê são muito complicados, principalmente se estamos falando do primeiro filho. Muito mais do que uma nova rotina, ganhamos um novo papel que jamais nos abandonará: agora somos mães. E tem várias coisas que, se nossos maridos soubessem, facilitaria muito a adaptação do casal a esta nova fase da vida. Mas vou citar só 10 delas:

Meus hormônios estão a mil

Às vezes quero chorar, às vezes estou feliz, às vezes quero te matar. Sinto muito, te amo, mas os hormônios fazem isso comigo.

Eu tenho dúvidas se estou sendo boa mãe

Eu preciso que você me ajude a tomar decisões, me compreenda nas minhas dúvidas e me elogie quando achar que estou fazendo um bom trabalho. E quando se perceber que estou fazendo alguma coisa de errado, me corrija com muito, muito amor e delicadeza - tanta que nem vou perceber!

Às vezes, eu não confio em você

O problema não é você. Sou eu. Não consigo confiar meu bebezinho pequenininho a ninguém. E isso inclui você. Mas eu sei que preciso mudar e peço que você me transmita a segurança necessária para isso.

Cuidar de um bebê cansa mais do que você imagina

Não é porque estou em casa com o bebê o dia inteiro que eu tenho tempo de descansar. Aliás, nem tempo de ir ao banheiro com calma eu tenho. Então, não pense que minha licença-maternidade é férias.

Eu preciso de ajuda (e não quero pedir)

A rotina com o bebê exige muito de mim. Eu preciso que você me ajude em toda e qualquer tarefa que estiver ao seu alcance. Mas eu não quero ter que pedir toda hora, porque isso cansa! Então, seja proativo.

A casa não vai estar arrumada sempre

Se eu não dou conta nem de me arrumar, quem dirá da casa. Então, se você quer que nosso lar esteja sempre limpinho e arrumado, ajude nas tarefas ou contrate alguém para fazer.

Nem terá comida sempre fresca na mesa

A menos que você compre ou alguma visita caridosa nos traga.

Não tenho vontade de fazer sexo e me sinto horrorosa

Não recuperei o meu corpo de antes da gravidez. Isso somado aos hormônios malucos e cansaço diário me faz ter zero vontade de fazer sexo. Mas, se você quiser me fazer uma massagem, pode ser que eu mude de ideia (pode ser...).

Não sou sua mãe!

E antes que você pense “mas a minha mãe tinha três filhos, trabalhava fora, tinha um casamento feliz e mantinha a casa arrumada”, lembre: eu não sou sua mãe. Também não sou a mulher do seu colega ou a vizinha que aparentemente têm uma vida de novela. Não preciso de comparações, preciso de incentivo.

Te amo ainda mais

Mesmo te odiando algumas vezes por causa dos hormônios, irritada com sua falta de ajuda ou fugindo do sexo, a verdade é que te ver como pai, cuidando do nosso filho com tanto carinho, me faz te amar ainda mais. 



Mil Assuntos

Aqui contamos com a parceria de profissionais competentes e dos melhores blogs infantis do Brasil e Exterior, para trazer para você matérias e assuntos escolhidos a dedo para te envolver ainda mais nesse mundo materno.

Participe

Se você quer seu texto ou algum tema publicado aqui conosco, envie-nos sua ideia ou matéria com seus contatos que retornaremos o mais breve possível.

Link me
Instagram
Curtir!
Parceiros
Mommy´s Place | O maior e mais completo guia infantil com as melhores lojas e serviços do Brasil
© 2013 Mommy’s Place. Todos os direitos Reservados