teste

O maior e mais completo guia infantil com as melhores marcas, lojas e serviços do Brasil

Mil Assuntos


Dicas valiosas para você dar conta de tudo, ser mae, mulher e profissional

10/07/2015 - Por Raquel Benazzi - Núcleo Corujas

Como fazer para organizar meu tempo e a rotina e dar conta de tudo, ser mãe, mulher e profissional?

http://goo.gl/x5nfXY

Na verdade não sabemos se conseguimos dar conta de tudo, e não sabemos se precisamos dar conta de tudo. É sempre bom percebermos que podemos ser pessoas normais que muitas vezes não conseguem ter uma rotina exemplar e que conseguimos fazer tudo o que queríamos. O importante é ter o equilíbrio e saber dosar cada função e cada papel. Por isso, aqui vão algumas dicas de como se organizar para tentar uma rotina mais tranquila e organizada.

Tentar exercer cada função de uma vez

Se estou no trabalho, tento me focar nele, e se estou em casa foco em ser mãe e dona de casa.

Respeitar seu espaço de trabalho

Se trabalho em casa devo ter meu local de trabalho e um horário a cumprir, para minha mente e minha família entenderem esse momento.

Faça um calendário

Faça um calendário semanal e coloco em um local visível, como a geladeira, e coloque as tarefas que deseja realizar na sua semana, assim risque-as quando realizá-las. Se não realizar uma tarefa, não se culpe, deixe a para outro dia, e se não conseguir novamente, tente encaixá-la em outro momento.

Reserve um tempo da semana para você.

Sempre precisamos nos cuidar antes de cuidar dos outros. Usando uma metáfora, devemos colocar a máscara de oxigênio em nós primeiro para podermos colocar nos outros. Assim se você estiver bem consiga mesmo, tudo fluirá naturalmente.

O tempo para você pode ser em casa mesmo, após o filho dormir, ou um banho relaxante e demorado. Deve ser algo que te traga prazer.

Cuide do seu relacionamento

Tenha um tempo para a relação conjugal. Muitas mulheres se esquecem de ser esposa, então, além de reservar um tempo para você, reserve um tempo para o marido. Saia para jantar, veja um filme, ou simplesmente fiquem juntos.

Sempre deixe suas tarefas organizadas por preferência e prioridade, assim o mais importante sempre será feito.

Acrescente tudo no seu calendário semanal e viva cada minuto, tenha calma, não se apresse, e não tente ser a mulher maravilha, assim a rotina se adapta a você e você se adapta a rotina.



Papais podem e devem participar dos cuidados e criação dos filhos

22/06/2015 - Por Raquel Benazzi - Núcleo Corujas

Hoje, muitos pais mostram-se mais presentes e ativos na criação e educação dos filhos, há maior sensibilidade na vivência deste papel, entregam-se à paternidade e à paternagem de maneira ativa, conectada e conscientemente. Muitos mudam suas rotinas, comportamentos e atitudes, sofrendo profundas transformações internas e saudáveis.

Existem milhares de possibilidades de exercer a função materna e paterna, e isso não tem relação com o sexo - homem ou mulher. Há pais que durante a gravidez já estão totalmente envolvidos com o bebê e com a gestação, são aqueles que comumente falamos "ele está grávido também né?", em alguns casos, estes pais podem inclusive sentir enjôos e outros sintomas, gostam e fazem questão de participar das escolhas, consultas e exames médicos, além de aproximarem-se da esposa, preocupando-se bastante com ela com a criança, havendo uma nova conexão com o casal, diferente, mas prazerosa para ambos.


http://goo.gl/Mn89Vr

Por outro lado, há pais que só após o nascimento e com o crescente contato com o bebê aproximam-se de sua paternagem; e pais que terão mais dificuldade em exercê-la satisfatoriamente ao longo da vida.  Alguns homens efetivamente não conseguem ficar absorvidos e conectados pelo bebê (e algumas mães também em certos casos).

No decorrer da gestação e das primeiras semanas de vida do bebê, período de adaptação familiar e, principalmente de adaptação da mãe-bebê, a presença e determinadas atitudes dos pais podem ser de grande ajuda para a mãe, para o desenvolvimento do bebê e, consequentemente, para a família como um todo.

Separamos algumas dicas que podem auxiliar o papai nos cuidados com o bebê. Lembrando que cada caso é um caso e que tem suas próprias complexidades e história:

1- Converse e pergunte como a mamãe está se sentindo, se há dificuldades, medos, angústias e tristezas. Ofereça apoio físico e emocional para o que ela esteja precisando no enfrentamento de alguma situação difícil, ajudando-a a lidar com tal situação de forma mais clara, rápida e em conjunto.

2- Estimule o vínculo do pai com a barriga. Permita que ele aproxime-se da barriga, a toque, converse e cante para o bebê. Escolham o obstetra e pediatra, em conjunto, e procurem estar juntos nos momentos de exames e consultas.

3- Deixe-o participar das compras do enxoval, escolher roupas, utensílios, móveis. Se o papai não gosta disso, explique para ele o motivo desta atividade ser importante para você e peça que ele então escolha em quais delas ele pode estar presente. Muitos homens preferem montar o berço, pintar o quarto, colocar a iluminação do que ir às lojas e escolher os móveis e detalhes. É necessário uma conversa aberta e flexibilidade de ambos os lados.

4- Considere a opinião do papai e esteja aberta a ouvi-la.

5- Pai reconheça suas emoções. Assim como para a mamãe, o nascimento de um filho também pode fazer florescer fortes sentimentos e até mesmo conflitos. Muitos homens têm vergonha e/ou medo de falarem sobre isso e mascaram os sentimentos, fugindo para outros âmbitos, buscando o trabalho, amigos, esporte, bebida e até outras mulheres. Então, o primeiro passo é aceitar os sentimentos e buscar expressá-los de forma saudável, isso irá ajudar em sua saúde psíquica e neste novo processo de adaptação, de ser pai.

6- Após o nascimento estimule o toque e o acolhimento do pai com o bebê.

7- Pai participe dos cuidados de seu filho: trocar as fraldas, dar banho, cuidar das cólicas e qualquer outra atividade, independente de ser durante o dia ou durante a noite.

8- Os pais podem juntos participarem de cursos como Cuidados Básicos, Shantala e Banho de Ofurô. Estas duas últimas atividades costumam a ser prazerosas para os pais, principalmente quando chegam em casa após o trabalho. Estimule que ele faça a massagem e dê o banho de Ofurô. 

9- Mamãe, você não precisa pedir ajuda, como se o papai estivesse exercendo um favor a você e ao bebê. As responsabilidades devem ser compartilhadas, já que mãe e pai têm as mesmas responsabilidades perante a criança! Estabeleça um diálogo honesto e franco sobre isso, descobrindo quais atividades ele se sente mais à vontade, tem mais prazer, dificuldade, medo e juntos, assim vocês poderão ir construindo uma aliança fortalecida.

10- Tem muita mãe que gosta de fazer tudo do seu jeito e busca controlar e cuidar de todas as situações. Estas mamães precisarão aprender a delegar atividades e compreender que o jeito do papai fazer pode ser diferente do jeito dela, mas não necessariamente é uma forma errada. Esta situação pode inclusive ser benéfica ao bebê, propiciando diferentes experiências e formas de ser cuidado e receber amor.

11-O pai precisará tomar cuidado para não se acomodar e deixar tudo para a mãe - Apresente-se enquanto cuidador único e essencial para seu filho e exija isso! E mamãe, deixe que o pai seja pai e que encontre sua própria forma de assumir a paternidade, assim o vínculo irá intensificar-se e o papai se sentirá útil para a esposa e para o filho.

12 - Se, após alguns meses, a mamãe fica muito e apenas envolta aos cuidados do bebê, o pai é a figura importante que lutará para trazer a mamãe para outros papéis que ela tinha, ou novos, como por exemplo: esposa, dona de casa, trabalhadora, mulher, amiga etc.

13- Mantenha uma intimidade entre o casal. Não desistam disso, e com o estabelecimento de uma rotina ficará mais fácil estabelecer momentos a dois. Para isso, é importante o casal se ajudar e estar conectado, as divisões de tarefas domésticas e cuidados ajudam para não ficarem sobrecarregados e conseguirem ficar juntos.

A partir dos 4-5 meses, o filho começa a reagir ao pai de modo especial e diferente ao que reage com a mãe. Após um ano, a presença ativa do pai nos cuidados e educação do filho passa a ficar mais marcante, e isso dependerá muito da estimulação da mãe e, também, da disposição interna do papai para que isso aconteça. O mais importante é o casal ser parceiro, construírem juntos as novas regras familiares e estarem abertos a aprender, experimentar, errar e ouvir o outro.

 



Como se constroe o vínculo mãe e bebê?

09/06/2015 - Por Raquel e Luciana - Núcleo Corujas

O vínculo mãe- bebê, em alguns casos, inicia-se antes da gestação, quando a mamãe já pensa sobre ser mãe e num possível bebê; ela o deseja, cria fantasias sobre seus gostos e personalidade e imagina sua vida com ele. Na gestação o vínculo desenvolve-se mais ainda e começa uma relação mais próxima. 

As mamães que tiveram filhos sem planejamento ou que durante a gravidez não estavam feliz com este momento não precisam achar que não serão capazes de oferecer um bom vínculo ao bebê. O vínculo é construído dia a dia na relação e sempre pode ser fortalecido, quando há amor e carinho.


http://goo.gl/PKc2mh

Amor e Segurança

O vínculo é um processo de comunicação entre a mãe e seu filho, uma comunicação de afeto, de sensações e de sentimentos. Um vínculo positivo, baseado no amor e na segurança, é de suma importância ao bebê, para sentir-se amado, desenvolver auto-confiança, boa auto-estima e ser capaz de construir relações saudáveis com outras pessoas e consigo mesmo no futuro. 

A cada descoberta, a cada mudança de vida do bebê, a mãe se surpreende e aumenta, intensifica seu vínculo com ele, e a cada demonstração de afeto materno o bebê se vincula mais a mãe.

Algumas dicas para intensificar esse vínculo desde a gestação até os primeiros anos de vida do bebê em formação:

1- Na gestação converse com seu bebê, ele já te escuta e sente suas emoções

2- Acaricie sua barriga, massageie e de carinho a ela.

3- Ponha músicas de seu gosto para o bebê escutar

4- Estimule a comunicação familiar com seu bebê ainda na barriga

5- A cada manuseio e manipulação ofereça e demonstre seu amor a ele.

6-Amamente seu filho em um momento calmo, sozinha e dando toda atenção a ele.

7-Durante a troca de fralda converse com ele, e faça desse momento uma interação

8- No banho massageie o corpinho do bebê, cante, brinque com ele

9-Dê um colinho quando achar bom e necessário

10- Faça massagem shantala com ele

11-Brinque e estimule seu desenvolvimento.

12- Ser capaz de compreender a comunicação de seu bebê e respondendo a ela adequadamente.

Com essas dicas seu filho terá em você a pessoa de segurança e referência, o que trará benefícios a seu desenvolvimento e amadurecimento.



1o Encontro Materno Virtual - Vida Mulher, Profissional e Mãe

12/05/2015 - Por Janaina Medeiros - Mommy's Place

Dia 13/05 – Tema: Vida Mulher, Profissional e Mãe 

Assuntos Abordados:

- Como diminuir a ansiedade para exercer todos os papéis pessoais, profissionais e sociais
- Organizando o tempo
- A importância do seu tempo, aprendendo a respeitar seu tempo e seus limites
-Culpas por ser profissional além de mãe
- Mulher x Mãe- como diferenciar os dois papéis e conseguir exercer os dois com qualidade

Palestrantes:

Raquel Benazzi – IG @nucleocorujas

Psicóloga formada pela Universidade Mackenzie, com especialização em Psicologia Hospitalar pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com foco em gestação e crianças, e em Psicologia Analítica pelo IJEP- Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa.
Atuou como psicóloga hospitalar do Hospital Estadual de Francisco Morato e atuou na área de gestação, gestação de alto risco, UTI neonatal e pediátrica e clínica pediátrica.
Atende em consultório particular com gestantes, crianças, adolescentes, adultos e idosos e faz palestras para empresas no setor de qualidade de vida para gestantes e familiares. Coordenadora do Núcleo Corujas com enfoque em gestantes, mães e famílias.

Blogueira Convidada – Fran MissMãe

www.missmae.com.br
IG - @franmissmãe
 



Regras para Visitar um Recém-Nascido

01/05/2015 - Por Raquel e Luciana - Núcleo Corujas

Quando nasce o bebê tão esperado pela família, todo mundo fica ansioso para conhecê-lo. Este é um momento bastante feliz, mas acompanhado de muitas mudanças para mulher e para família, e existem algumas regrinhas básicas de etiqueta que são de bom gosto se forem seguida.

A experiência do pós parto e a vivência na maternidade são muito particulares de mãe para mãe, os sentimentos suscitados são diversos. Entretanto, geralmente, após o parto a mulher sente-se muito cansada e indisposta, por isso visitas são bem vindas após um tempo do parto, pelo menos umas 6 horas depois.

Dicas para a mamãe e o papai

Escolham juntos quem vocês querem na maternidade na hora do parto e no quarto com vocês. Também já deixem claro para amigos e familiares qual o seu desejo: receber visita na maternidade ou em casa. Normalmente prefere-se na maternidade, pois em casa a rotina de adaptação é longa e intensa.

Mãe, avise seu marido para ele ficar com o celular e receber as ligações, ele fará o papel de anfitrião. E dará os recados para os visitantes sobre os desejos de vocês.

Dicas aos visitantes

Respeitem sempre o desejo dos pais da visita, não existem regras rígidas e claras, quem farão as regras são os pais e elas devem ser respeitadas.

1-Sempre avisem quando irão visitar e peçam permissão para isso, às vezes o dia não é propício visitas.

2-Não vá muito tarde pois o bebê está entrando na sua rotina e a mãe também

3- Não peça para acordar o bebê, o sono dele auxilia no desenvolvimento, crescimento e na digestão.

4- Faça visitas curtas, lembre-se que a mãe e o pai estão cansados e se adaptando ao novo integrante, precisam de tempo familiar para isso

5- Não pegue o bebê no colo sem autorização dos pais, mas se tiver intimidade e os pais permitirem poderá auxiliar nos cuidados para aliviar as tensões.

6-A hora da mamada é sagrada, não atrapalhe esse momento, deixe a mãe a sós com o bebê para fortalecimento do vínculo e intimidade.

7-Não pegue o bebê se você estiver com cheiros fortes: perfume e principalmente cigarro. Caso esteja com cheiro forte e quiser pegar o bebê, utilize uma fraldinha para pegá-lo e coloque-a em sua roupa onde o bebê for encostar, ou leve uma roupa para trocar.

8-Só tire fotos se for do consentimento dos pais, isso pode parecer uma exposição ou invasão de privacidade.

9-Não passe a barba no bebê a pele dele é muito sensível e pode irritá-lo. E tome cuidado com os beijos pois devem ser evitados, principalmente nas mãos do bebê que são levadas a boca constantemente.

10- O mais importante: Sempre lave bem as mãos antes de pegar o bebê ou brincar com ele, higiene com recém nascido é muito importante.

Foto da Home: http://goo.gl/fLgMGn





Mil Assuntos

Aqui contamos com a parceria de profissionais competentes e dos melhores blogs infantis do Brasil e Exterior, para trazer para você matérias e assuntos escolhidos a dedo para te envolver ainda mais nesse mundo materno.

Participe

Se você quer seu texto ou algum tema publicado aqui conosco, envie-nos sua ideia ou matéria com seus contatos que retornaremos o mais breve possível.

Link me
Instagram
Curtir!
Parceiros
Mommy´s Place | O maior e mais completo guia infantil com as melhores lojas e serviços do Brasil
© 2013 Mommy’s Place. Todos os direitos Reservados